Brasil: país do futebol?

Por Jonas Santana

Imagem: Bruno Menezes/Comunicação Visual – Jornalismo Júnior

Olha a bola. Lá vai a câmera.

Quase foi gol. Torcida aplaudiu.

Estavam de saias. A TV desligou.

Estavam vendados. Torcida sumiu.

Há tempos que já havia notado o quão abrangente é a expressão: “Brasil, país do futebol”. Contudo, seria mesmo o Brasil o país do futebol? Qual futebol?

Questiono-me pela questão da valorização. Eu que admirava e admiro o futebol feminino sei muito bem como é difícil acompanhá-lo, principalmente quando não se tem dinheiro ou disponibilidade para assisti-lo em estádios ou em algum canal de TV por assinatura. Pense como deve ser para quem tenta acompanhar algum campeonato de futsal e, complicando mais um pouco, futebol de areia. Agora imagine para quem quer acompanhar futebol de 7 ou futebol de 5 (estas são duas categorias de futebol paralímpico, que aliás vêm nos representando super bem em suas recentes histórias em campeonatos internacionais). Não me estranharia se você desconhecesse essas modalidades. E é por isso que retorno a perguntar: Aqui realmente é o país do futebol?

Uma grande parcela dos brasileiros só lembra do futebol feminino de quatro em quatro anos quando a Rede Globo decide transmitir alguns dos seus jogos pelas Olimpíadas. Já o futebol de 7 e o futebol de 5 são ainda mais invisíveis. Eu, pelo menos, só os descobri há um ano, pois pude acompanhar alguns dos jogos da Paralimpíada.

É chocante saber que os meninos do futebol de 5 tenham uma história muito linda, com títulos em Copas Mundiais e nunca tenham perdido uma sequer paralimpíada em sua categoria, enquanto valorizamos coisas fúteis no esporte. E a Marta, nem se fala, não é mesmo? A rainha do futebol que mesmo com 5 bolas de ouro, prêmio máximo para um jogador ou jogadora no mundo, não tem o reconhecimento que um atleta qualquer da Seleção Brasileira de Futebol Masculino tem hoje.

Há um ano tivemos o privilégio de sediar dois grandes eventos mundiais: Olimpíadas e Paralimpíadas. Enquanto os Jogos Olímpicos foram um sucesso, fiquei decepcionado com os brasileiros em relação às Paralimpíadas. Primeiro que nenhuma das grandes emissoras de TV, ao menos, fez uma cobertura integral dos Jogos; eu mesmo me iludi, pois por ser algo excepcional em nosso país e como houve uma excelente cobertura dos Jogos Olímpicos, acreditei que seria assim com as Paralimpíadas, porém não foi o que aconteceu. Outra coisa que acrescentou mais a minha decepção, foi o que ocorreu um pouco antes do início dos Jogos Paralímpicos: houve a divulgação dos pouquíssimos ingressos vendidos e, só depois desse fato, a população decidiu comprar os ingressos, que, aliás, estavam com preços bastante acessíveis.

É inadmissível que um país que tem tanto orgulho de dizer que é “do futebol” tenha tido que pedir, para não dizer implorar, para que o povo assistisse às partidas de futebol adaptado para deficientes. Que seja um esporte paralímpico, mas era FU-TE-BOL.

Dessa forma retomo a questionar: O Brasil é o país do futebol?

O principal requisito para jogar futebol de 5 é possuir deficiência visual, mas o irônico é que, biologicamente, eles que não conseguem ver, porém, na verdade, somos nós que não conseguimos enxergá-los.

ㅡ Brasil, país do futebol?

ㅡ Não! Brasil, país em que a glória do futebol é sempre de poucos!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *